Bolsonaro vai para o PSL e liberais abandonam sigla

Deputado fluminense assina um termo de compromisso para disputar o Planalto pela legenda; Livres, grupo que reconstruía o partido, critica a negociação

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e o presidente do PSL, o também deputado federal Luciano Bivar (PE), fecharam um acordo nesta sexta-feira, 5, para lançar o parlamentar fluminense à disputa do Palácio do Planalto na eleição deste ano. Após a assinatura do termo de compromisso com o segundo colocado nas pesquisas de intenção de voto, o movimento Livres, que há quase dois anos estava na linha de frente da reconstrução do PSL, anunciou a saída da legenda – até mesmo com a adesão do próprio filho de Luciano, Sérgio Bivar.

O presidente do PEN-Patriota, Adilson Barroso, que já havia apresentado Bolsonaro como seu candidato à Presidência, disse que “desfigurou o próprio partido em nome de Bolsonaro e que até agora não recebeu nenhum telefonema como sinal de consideração”. No fim de novembro, diante de rumores de negociação com outras siglas, Bolsonaro havia assinado uma ficha de pré-filiação ao PEN-Patriota datada para março.

 

Bolsonaro e Bivar, do PSL
Em carta, Bolsonaro e Bivar falam em 'liberalismo sem viés ideológico' Foto: PSL/Divulgação
 

Ao fim da reunião desta sexta-feira, no Recife, Luciano e Bolsonaro assinaram nota conjunta na qual afirmam que o futuro do País está “no pensamento econômico liberal, sem viés ideológico, no soberano direito à propriedade privada e na valorização das Forças Armadas e da segurança”. “Existem mais semelhanças do que diferenças entre Bolsonaro e o nosso pensamento liberal. É um orgulho tê-lo ao nosso lado”, disse Luciano ao Estado.

 

Comentários

aqui vai ficar os comentários do facebook