O menino e o relógio: aluno de projeto social da Polícia Militar inspira outras crianças na arte suave

No tatame ele pode até parecer pequeno diante dos oponentes, é magrinho, tem uma pequena estatura, mas fora dele o lutador mirim de Jiu-Jitsu se agiganta. Gabriel Freitas tem apenas 8 anos e há seis meses participa das aulas do projeto “Em Forma com o 5º BPM”.
No último duelo do ano, promovido para encerrar as ações de 2017, o garoto lutou e não alcançou a primeira posição, mas acabou conseguindo uma medalha de prata. E foi na hora de receber o prêmio que se observou o espírito grandioso do pequeno aprendiz.



A premiação era para os vencedores de 1º e 2º lugares. Cada campeão poderia escolher entre os brindes, que eram diversos, o que queriam como troféu. Na hora, Gabriel não hesitou e pegou um dos relógios de pulso.

Todos no recinto sabiam que o aparelho ficaria largo em seus braços, mas antes mesmo que alguém o perguntasse, ele logo explica: “É para eu levar pra minha mãe”. “Que lindo!”, dispara alguém no meio da plateia diante do gesto surpreendente da criança, que deixou de pegar algo para si próprio para presentear a matriarca.
Gabriel é filho de pessoas simples. Segundo ele, o pai trabalha com auxiliar de serviços gerais e o Jiu-Jitsu é uma oportunidade para ingressar no esporte.

O sargento Ricardo Ferreira é o treinador e também idealizador do projeto que é o braço social do 5º Batalhão da Polícia Militar (5° BPM) do Acre, no bairro São Francisco e entorno. Lá, Gabriel, o irmão e mais cerca de 60 adolescentes praticam a modalidade conhecida como a “Arte Suave”.

 

Treinador que inspira

O mestre explica que o programa é uma forma de ajudar as crianças e adolescentes  e “prepará-las para os desafios da vida”. Ressalta que quer ajudar os atletas a trilharem o caminho da paz e da justiça.
Os ensinamentos do mestre têm surtido efeito, pelo menos para Gabriel, que  ainda não tem muitas referências no mundo do esporte, mas “gosta muito de lutar”. E  tem no mestre sua maior fonte de inspiração. “Quero ser que nem o professor”, diz.
Para Selma Cunha, diretora da Escola Berta Vieira, onde mais de 30 alunos participam da ação, depois que os estudantes começaram a fazer parte do programa, tem notado muitas mudanças de comportamento, “além de mais comprometimento com os estudos e mais respeito pelos outros e pelo espaço da escola”.

 

O projeto

“Em Forma Com o 5º BPM” tem como objetivo a aproximação dos jovens com a Polícia Militar, além de envolvê-los em atividades desportivas. Existe há três anos e atende os moradores da região do São Francisco.

Comentários

aqui vai ficar os comentários do facebook